Você está na categoria:
Experiências
12 de novembro de 2018

A hora do sono aqui em casa

O quarto estava montado, esperando pelo Pititico, mas no início ele dormiu no carrinho ao meu lado. Foi assim quase dois meses. O carrinho era grande, então acomodou bem nesse período. Eu fiz assim porque facilitava a hora das mamadas. E também porque minha cesárea teve alguns contratempos, então eu não conseguia fazer muita coisa. Com o Pititico no carrinho, Emerson é que o pegava e colocava no meu colo para mamar. …

Continue Lendo
31 de outubro de 2018

Criptorquidia – nossa experiência

No post de hoje, tudo o que falei sobre os testículos retráteis do Pititico no meu antigo blog. ******** Procuramos um cirurgião porque o Pititico tinha fimose. A pediatra achamos válido procurarmos um especialista para que não restasse nenhuma dúvida. Então, o Pititico chegou lá dormindo. Primeiro explicamos (marido e eu) o motivo de estarmos ali. O cirurgião pediu pra examiná-lo e ele acordou assustado, tadinho. Chorou um pouco, mas rapidinho fez …

Continue Lendo
3 de outubro de 2018

Perda de fôlego no bebê

Quando o Pititico tinha um ano tivemos episódios de perda de fôlego. A primeira vez aconteceu quando o Pititico caiu sentado, bateu a cabeça de leve na cadeira e chorouuuuuu. Peguei ele no colo e ele ficou roxo. Engoliu fôlego. Soprei ele, sacudi, gritei. Ele voltou. Ficou mole. Passei água no rosto dele. Abracei, chorei. E se repetiu na terça-feira. Depois do banho, tava preparando o leite dele. Ele pegou o bico …

Continue Lendo
1 de outubro de 2018

Resgatando a identidade na maternidade

A gente sabe que conciliar os papéis de mulher, esposa, mãe, dona de casa, profissional não é nada simples. Seja pelo pouco tempo, seja por desequilíbrio. Quando eu engravidei já senti o lado mãe tomar conta e colocar o lado feminino encostado. Isso porque as mudanças são profundas e intensas não só no corpo, mas também na mente. A gente acaba assumindo o papel único de mãe. O mais importante é a vida …

Continue Lendo
28 de setembro de 2018

Cada mãe com sua realidade

Quando Álvaro ainda era um bebê e acordava de quatro a cinco vezes para mamar eu fica esgotada, claro. Se tem uma coisa que fazia falta na maternidade (costuma fazer ainda rs) era dormir bem. Daí que um dia eu vejo uma outra mãe dizendo assim: quando seu bebê acordar no meio da noite, levanta, solta um aleluia e vai sorrindo. Comentei com Emerson dizendo que eu devia fazer isso. Porque eu …

Continue Lendo