Você está na categoria:
Experiências (Page 2)
24 de outubro de 2017

Volte a ser você

Conciliar os papéis de mulher, esposa, mãe, dona de casa, profissional não é tão simples. A dificuldade pode ser pela falta de tempo ou equilíbrio. Foto Arquivo Pessoal Quando a gente engravida, o lado feminino começa a ficar esquecido e é tomado pelo lado mãe. São tão intensas e profundas as modificações sofridas no corpo e mente que a gente acaba assumindo o papel único de mãe. Nada é mais importante que …

Continue Lendo
20 de outubro de 2017

Paulo o amigo de Jesus Cristo – resenha

Que lindo esse livro gente! Uma linguagem fantástica para contar sobre a vida de um dos grandes apóstolos de Jesus. Pititico ficou maravilhado ao ouvir o que Paulo disse sobre o amor e achou que ele viajou muito rs. O livro conta a história de São Paulo, um homem fascinante que, ao conhecer Jesus Cristo, tornou-se seu grande amigo, deixando para trás tudo o que considerava importante para devotar a vida à …

Continue Lendo
11 de outubro de 2017

A criança precisa aprender a esperar

No sábado dei janta pro Pititico que estava bem cansado. Fiz assim primeiro porque ele não ia demorar pra dormir. Tinha acordado às seis da manhã, ido pra aula de futebol e brincado a tarde toda no aniversário de um amigo. Estava exausto, eu sabia. Depois de alimentá-lo (confesso, rolou foi miojo. Ele não quis outra coisa) eu fui jantar. Me sentei ao lado dele no colchão que estava na sala. Ele estava …

Continue Lendo
5 de setembro de 2017

Pai tem que dividir as tarefas sim!

Quem já ouviu a famosa frase “mas eu te ajudo com o bebê”? Ou, quantas vezes você já disse: amor, me ajuda aqui. Mas aquele me ajuda do tipo “você deu o banho então tá liberado de qualquer outra tarefa”? Eu falo porque fiz muito isso. Quando o Pititico nasceu meu marido tinha começado em um novo emprego e, trabalhava das 14h às 22h. Chegava em casa depois das 23h. Eu achava …

Continue Lendo
2 de agosto de 2017

A criança bate no coleguinha na escola porque aprendeu isso em casa?

Não. Eu já disse (não sei em qual lugar) que sofria mais quando o Pititico batia em alguém na escola do que quando apanhava. É, ele já bateu em algum coleguinha. Não me lembro quantas vezes, foram poucas eu sei. Mas me deixaram triste e envergonhada. Eu sentia vergonha com o que as pessoas poderiam estar pensando. Se achavam que meu filho era “mal criado”. E aí eu começava a ler e …

Continue Lendo