10 01 2019

Terror noturno – o que é isso?

Bastava um dia agitado para que Álvaro, pouco tempo depois de domir, começasse a gritar e chorar. Emerson e eu ficavámos apavorados. A impressão que tínhamos era de que ele via algo porque fazia tudo com os olhos abertos. A gente tentava acordá-lo mas isso não adiantava. Eram minutos que pareciam uma eternidade. Como os episódios estavam recorrentes falamos com a pediatra dele. Foi aí que descobrimos se tratar do Terror Noturno.

O Terror Noturno é um transtorno do sono que acontecem quando a criança está na fase em que dorme profundamente mas ainda não sonha.

Ocorrem com cerca de 5 por cento de todas as crianças, e podem começar já aos 9 meses de idade.

Durante uma crise de terror noturno, a criança pode chorar, gritar, gemer, sentar na cama e se debater. Mesmo que ela esteja de olhos abertos, não sabe que você está ali e não se acalma.

A crise pode durar alguns minutos e é raro que seja de mais de 15 minutos. Depois que passa, a criança volta a dormir e, no dia seguinte, não vai lembrar de nada. Era exatamente assim com o Álvaro. Ele não fazia ideia do que tinha acontecido.

Terror noturno não é o mesmo que pesadelo?

Não. Os pesadelos ocorrem durante a fase do sono conhecida como REM, que é quando as pessoas sonham.

Depois de um pesadelo, a criança tem ideia do motivo de estar assustada, e após os 2 anos de idade começa a explicar o sonho.

Outra coisa que acontece com os pesadelos é que a criança pode ficar com medo de voltar a dormir, e no dia seguinte consegue se lembrar de que teve um sonho ruim.

Quais são os sinais do terror noturno?

Se seu filho estiver passando por um momento de terror noturno, você provavelmente notará alguns do seguintes sinais:

  • aparência de assustado ou desorientação
  • gritos ou choro
  • balbucio ou fala que não faz sentido
  • falta de reconhecimento quando você tenta confortá-lo
  • ausência de memória do que aconteceu.

O que eu posso fazer na hora do terror noturno?

É claro que seu primeiro instinto vai ser tentar acalmar seu filho, mas é bem possível que nada que você faça adiante (afinal, ele está dormindo). E não resolve mesmo.

O que dá para fazer é ficar por perto para garantir que ele não se machuque. A pediatra nos instruiu a não falar e nem pegar o Álvaro no colo no momento da crise, porque isso podia prolongar o episódio.

Passamos a fazer como ela havia dito e foi ótimo! Quando ele começava a gritar e na maioria das vezes já fazia isso sentado na cama, eu apenas chegava perto sem dizer nada e o deitava de volta. A crise passava rapidamente.

Há algo que eu possa fazer para evitar que o terror noturno aconteça?

Há várias medidas que você pode tomar para diminuir a chance de seu filho sofrer dos terrores noturnos, embora não haja garantia de sucesso.

Não se sabe exatamente o que causa o terror noturno. Mas o que se sabe é que esses episódios não significam que a criança tem algum problema psicológico ou que esteja preocupada com algo.

Para ajudá-lo, veja se ele está dormindo o suficiente. Crianças que ficam cansadas demais têm mais tendência a passar por terrores noturnos.

Para fazer com que ele durma mais, prolongue a soneca da tarde, deixe-o dormir um pouco mais de manhã ou então coloque-o na cama mais cedo à noite.

Os terrores noturnos costumam acontecer na primeira metade da noite. Por isso, uma estratégia, se nada mais estiver funcionando, é dar uma leve acordada na criança de uma a duas horas depois de ela ter adormecido — cerca de 15 minutos antes do horário em que as crises costumam acontecer. Com isso, o padrão de sono é alterado e há a possibilidade de o episódio de terror noturno ser evitado.

Certos medicamentos e cafeína também podem contribuir para o terror noturno. Crianças que tenham alguém na família com algum distúrbio do sono, como sonambulismo, são mais propensas a passar por terror noturno.

Se os episódios de terror noturno ocorrerem na maioria das noites ou mais de uma vez por noite, comente com o pediatra para que ele possa avaliar se há alguma razão física para isso.

A boa notícia é que quase todas as crianças que passam por terrores noturnos saem naturalmente desse distúrbio do sono. Aqui foi assim.

 

Algumas informações foram retiradas do site Baby Center