25 de maio de 2016

USO DE BARGANHA PODE SER O GRANDE VILÃO!

Categorias:

Hoje é dia da coluna Psicologia aqui do blog e, a psicopedagoga Ana Paula Rodrigues fala sobre a barganha, um erro comum na educação das crianças e que atrapalha consideravelmente a formação social delas!

mundopititico.usodebarganhapodesergrandevilao

Uso de barganha pode ser o grande vilão!

Por Ana Paula Alves Rodrigues

A construção da ética e da moral pela criança passa por todas as experiências, das mais sutis até as mais complexas, em mesmo nível de importância e de interferência na formação e no desenvolvimento. Uma das condições primordiais para esta construção está na condução adequada das negociações entre os pequenos e os grandinhos (pais, mães e educadores).

Dessa maneira, NÃO USE BARGANHA. Não ameace. Não faça chantagem. Algumas situações são negociáveis e outras não. As crianças têm o direito de serem guiadas por regras e limites. Portanto, se é hora de alimentar, não negocie este momento com a hora de brincar. Evite frases como: ” Se não comer tudo não vai na pracinha” ou “Se chorar não ganha o brinquedo”.

Não, não e não. Cada evento precisa ser tratado singularmente. Alguns exemplos disso são:

  • Caso a criança apresente problemas durante as refeições, a ação deve ser voltada para ajudá-la a adquirir melhores hábitos alimentares e não negociar as refeições em troca de outros recursos.
  • Se transgrediu a regra de manter os brinquedos organizados, a sanção deve ser relativa ao uso dos brinquedos e não tirar da criança a chance de ir ao aniversário do amigo, por exemplo.
  • Ganhar um brinquedo pode ficar ainda mais interessante se acontecer em datas especiais e não apenas como troca por algum comportamento induzido ou de falso merecimento, tipo: “Está tão bonzinho esses dias que até merece presente…”
  • Ver crianças chorarem para conquistar algo é tão ruim e feio quanto assistir adultos tentando calar um choro através de uma ameaça. O choro precisa ser acalentado, especialmente quando há motivos consistentes para isto. Caso contrário, choro vira um jogo de trocas e chantagens que não deve ser nutrido. Nestas situações, o melhor é esperar o choro passar (mesmo que demore), para deixar claro de uma vez por todas, que este artifício não funcionará.

Adultos que negociam por meio de chantagem ou barganhas ENSINAM às crianças a construírem suas relações à base de interesses.

image1.JPG

Ana Paula Alves Rodrigues

Psicologia Clínica Infantil – Psicopedagogia – Formação de Professores Ed. Infantil

apaularodrigues@yahoo.com.br, instagram: @ana_escuta_a_infanciafacebook.com/Ana Escuta A Infancia

Leia mais!